Tire suas dúvidas sobre Temperatura e Pressão de Óleo


A temperatura e a pressão de óleo lubrificante são uns dos parâmetros mais importantes para garantir a durabilidade do motor do veículo. Para isso, muitos sistemas de injeção eletrônica adotam o uso de componentes para monitorar e/ou controlar a pressão e a temperatura instantânea do óleo do motor. Acompanhe o texto a seguir e saiba tudo sobre estes parâmetros e a importância de mantê-los sempre dentro das especificações.

Neste post você vai ver:

Qual a função e as localizações mais comuns dos componentes responsáveis pelo monitoramento e/ou controle da temperatura e da pressão do óleo do motor?

Existem inúmeras soluções de engenharia para controlar e otimizar os sistemas de lubrificação dos motores a combustão. Vários componentes são empregados para efetuar o monitoramento e o controle da pressão e temperatura do óleo. Entre eles, podemos citar sensores de temperatura do óleo, interruptores e sensores de pressão de óleo, eletroválvulas de controle de fluxo, trocadores de calor, radiadores de óleo, entre outros.

Assim, a função destes componentes é literalmente manter a pressão e a temperatura do óleo nas condições pré-estabelecidas para o correto funcionamento do motor. Há diversas configurações de aplicação destes componentes, podendo existir veículos com um ou mais dispositivos com o mesmo objetivo, seja o monitoramento ou controle destes parâmetros.

Geralmente, ficam localizados próximos à bomba de óleo, próximo ao filtro de óleo, no cárter do motor, podendo variar de acordo com o projeto do motor.

Na maioria dos sistemas, estes componentes podem não agir diretamente na eficiência do motor. Ou seja, suas funções ficam restritas ao monitoramento e controle da temperatura e da pressão de óleo e o sistema de injeção eletrônica não usa essas informações para melhorar o desempenho, por exemplo, otimizar as curvas de potência e torque do motor.

Antes de nos aprofundarmos nos funcionamentos e características destes componentes, falaremos um pouco sobre o óleo lubrificante do motor. Fique atento e saiba como escolher o óleo ideal para o motor do veículo que você está reparando!

Como escolher o óleo certo para o motor?

Os óleos lubrificantes utilizados nos motores são categorizados de acordo com alguns itens que todo reparador deve saber. São eles:

Especificação

Toda aplicação de óleo lubrificante tem uma especificação apontada pelo fabricante do motor, que pode ser de uma organização internacional, como os óleos com especificação da API (“American Petroleum Institute” – Instituto Americano de Petróleo), como por exemplo os óleos SM ou SN, ou da ACEA (“Association des Constructeurs Européens d’Automobiles” – Associação Européia de Fabricantes de Automóveis), como os óleos A5 ou B5. Existem também óleos com especificações próprias das montadoras. Exemplo do óleo VW502.00 especificado pela Volkswagen, ou o MB229.3 especificado pela Mercedes-Benz.

As especificações do óleo (SL, SM, SN, A5, B5, etc.) estão relacionadas às características que o lubrificante precisa ter para atender as demandas de projeto do sistema de lubrificação do motor. Essas características vão desde propriedades anticorrosão e antioxidação à inibição de espumas (borras) e são alcançadas através do uso de aditivos.

Viscosidade

Você sabe o que significa a sigla dos códigos que informam a viscosidade dos óleos, como por exemplo o SAE 5W30? O W vem da palavra winter (inverno em inglês). O número antes do W indica que, em baixas temperaturas, com o motor em repouso ou logo após a partida, o óleo se comportará como um óleo com índice de viscosidade no valor informado (SAE 5, neste caso). O número logo após o W indica o índice de viscosidade à 100ºC.

Essas propriedades categorizam esses óleos como multiviscosos, ou seja, sua viscosidade pode assumir valores diferentes de acordo com a temperatura do motor.

Tabela viscosidade óleo automotivo

Fique sempre atento aos índices de viscosidade do óleo escolhido!

Tipo de óleo

A tipologia dos óleos é separada em 3 categorias, são elas:

  • Minerais;
  • Semi-sintéticos;
  • Sintéticos.

Na Plataforma Doutor-IE você encontra as especificações dos óleos de motor e demais fluidos aplicados aos sistemas dos veículos (arrefecimento, direção, freios, etc.). Conheça nossos planos de assinatura para ter informações indispensáveis na palma da sua mão!

Temperatura do óleo

Ao dar partida no motor do veículo, com o motor em temperatura ambiente, nos primeiros instantes, o óleo lubrificante ainda não estará nas condições ideais de uso. A temperatura do motor vai estar abaixo da faixa ideal. Nessas condições, se o óleo estiver muito deteriorado, ou seja, se tiver passado muito do período ou quilometragem indicada para a troca, a viscosidade pode estar muito elevada para o funcionamento do motor frio. Isto pode levar ao desgaste prematuro de alguns componentes do motor, pois o óleo não terá a fluidez necessária para efetuar a lubrificação.

Contudo, outro problema comum é a aplicação de óleo com viscosidade fora da especificação correta. As consequências de negligenciar os valores corretos de viscosidade do óleo são diversas e podem ir muito além de uma simples substituição do óleo. Se o óleo aplicado tiver viscosidade incorreta, quando frio, também pode ficar excessivamente viscoso e comprometer o sistema de lubrificação pela dificuldade de bombeamento. Além de forçar a bomba de óleo, esta falha no sistema de lubrificação, como já citamos, pode causar desgastes prematuros nos seguintes componentes:

  • Anéis do pistão
  • Corrente sincronizadora
  • Bronzinas
  • Mancais do virabrequim
  • Mancais do comando de válvulas

Vale ressaltar que muitos veículos são utilizados apenas em trajetos curtos, condição que é considerada pelas montadoras como uso severo. Ir diariamente na padaria, no mercado ou até mesmo para o trabalho perto de casa faz o motor trabalhar em baixas temperaturas e fora das condições ideais. Dessa forma, as montadoras geralmente recomendam trocas de óleo com maior frequência para veículos com este tipo de uso. Não seguir estas recomendações podem causar sérios prejuízos ao proprietário a longo prazo.

Porém, o contrário também é válido. O óleo quando submetido a temperaturas muito elevadas perde a viscosidade (fica fino) e pode também comprometer o sistema de lubrificação gerando problemas como, por exemplo, perda de pressão de óleo.

Sabendo da importância do monitoramento da temperatura do óleo, certos motores são projetados com a aplicação do Sensor de Temperatura do Óleo do Motor – EOT que monitora diretamente a temperatura do óleo do motor. Ele envia sinais para a UCE e auxilia, junto com o sensor de temperatura da água e outros sensores, no cálculo da temperatura do motor. O EOT é um sensor de resistência variável, muito comum em sensores de temperatura, onde sua resistência interna varia de acordo com a temperatura.

Engana-se quem acha que o óleo lubrificante do motor tem sua função restrita em apenas lubrificar as peças internas do motor. As principais funções do óleo e seus aditivos, além da lubrificação, são: servir de fluido de resfriamento para as peças móveis do motor; limpeza das peças do motor durante o funcionamento; evitar a formação de borras no óleo; entre outras.

Resfriamento ou aquecimento do óleo

Com a finalidade de manter a temperatura do óleo dentro dos valores adequados, alguns motores são equipados com um componente que tem a função de trocar o calor do óleo com o do líquido de arrefecimento do motor. Conhecido também como trocador de calor do óleo do motor, esse componente canaliza, em compartimentos isolados, todo o óleo e todo o líquido de arrefecimento que circulam pelo motor para que ocorra a troca de calor.

Assim, o trocador de calor auxilia no resfriamento do óleo do motor, fazendo com que o líquido de arrefecimento absorva o calor do óleo, evitando superaquecimento. Além disso, durante a fase fria do motor, o óleo absorve calor do líquido de arrefecimento, fazendo com que o motor atinja a temperatura operacional mais rapidamente, melhorando a performance do motor, aumentando a durabilidade e reduzindo o nível de emissões.

resfriador trocador de óleo motor
Exemplo de trocador de calor de óleo do motor.

O uso de um radiador de óleo também é empregado em alguns motores, com a finalidade exclusiva de arrefecer o óleo do motor. Neste caso, ao invés de trocar calor com o líquido de arrefecimento, a troca de calor é feita com o ar externo que entra pelas aletas do radiador.

radiador de óleo motor
Exemplo de radiador de óleo.

Veículos com motores turboalimentados geralmente são equipados com estes componentes para resfriamento do óleo do motor. Por haver um aumento expressivo de potência nas acelerações do motor e também por conta da alta temperatura no eixo central da turbina, que é lubrificado pelo óleo do motor, consequentemente, há um aumento brusco na temperatura do óleo. Assim, motores turboalimentados necessitam de equipamentos extras para o arrefecimento do óleo para que não haja problemas relacionados à temperatura do óleo e, consequentemente, do motor.

Pressão de óleo

Outro parâmetro importantíssimo para o correto funcionamento do motor é a pressão de óleo.

Para manter o sistema de lubrificação do motor operando de forma adequada existem valores mínimos e máximos de pressão de óleo que têm que ser mantidos pela bomba de óleo. Esses valores variam de acordo com o motor e com a condição de operação.

Na Plataforma Doutor-IE, no Manual de Motor – Ajustes, Especificações, Regulagens e Verificações, nós disponibilizamos os valores exatos da pressão de óleo do motor. Abaixo trouxemos os valores da pressão de óleo do Chevrolet Onix 1.0 12V Turbo Flex 116/116cv (L4G) – ano 2021.

valor pressão de óleo chevrolet onix turbo
Valores de pressão de óleo do Onix 1.0 Turbo.

É de suma importância que a pressão de óleo esteja sempre adequada, pois é através disso que os componentes vitais do motor como virabrequim, pistão, biela, eixo comando de válvulas, etc, recebem o óleo pressurizado através das galerias de lubrificação. Portanto, trabalhar com pressão de óleo incorreta pode reduzir a vida útil dos componentes internos e, em casos extremos, fundir o motor.

Existem algumas situações que podem causar diminuições ou aumentos excessivos no valor da pressão de óleo e, geralmente, estão atreladas à falta de manutenções periódicas. As principais são:

  • Óleo lubrificante com viscosidade incorreta
  • Óleo lubrificante com necessidade de troca
  • Filtro de óleo obstruído
  • Filtro de óleo com a válvula by-pass travada
  • Baixo nível de óleo
  • Problemas na bomba de óleo
  • Problemas na válvula reguladora de pressão de óleo
  • Bronzinas desgastadas (folgas de óleo excessivas)
  • Temperatura elevada do motor (óleo perde a viscosidade)

Em diversos sistemas o parâmetro da pressão de óleo do motor é monitorado por um dispositivo mais simples chamado de Interruptor de Pressão de Óleo, mais conhecido como “cebolinha do óleo”. Este dispositivo é constituído por uma membrana acoplada a um interruptor elétrico que pode fazer contato direto com a lâmpada da luz de pressão do óleo no painel de instrumentos do veículo. Quando o valor da pressão de óleo está abaixo do esperado, a lâmpada acende, avisando o condutor do possível defeito no sistema de lubrificação. Em outros sistemas, o sinal deste interruptor pode ser enviado diretamente para a UCE do motor.

Como exemplo, trouxemos o esquema de ligação do Interruptor de Pressão de Óleo do Fiat Argo 1.3 8V Firefly Flex 101/109cv/IAW 10GF – ano 2018. Conteúdo exclusivo para assinantes da Plataforma Doutor-IE.

esquema elétrico interruptor pressão óleo argo
Esquema de ligação do Interruptor de Pressão de Óleo do Fiat Argo 1.3.

Existem, também, motores que trazem um sensor de pressão de óleo para fazer um monitoramento mais minucioso deste parâmetro, de acordo com a necessidade do projeto.

Assim, um caso interessante quando o assunto é controle da pressão de óleo do motor é o sistema de lubrificação do Mercedes-Benz Classe A (W176) 200 1.6 16V CGI Turbo Flex 156/156cv (270.910). Neste sistema, uma eletroválvula controla diretamente o valor da pressão de óleo com a finalidade de otimizar o trabalho da bomba de óleo nas diversas condições de operação do motor.

Nós temos uma Dica Rápida referente ao código de falha P06DA – Falha no circuito elétrico do atuador de controle da pressão de óleo do motor do Mercedes-Benz Classe A solucionado pelo Suporte Técnico da Doutor-IE, onde foi necessário realizar a substituição do chicote elétrico desta eletroválvula. Acesse o link e saiba mais sobre este caso!

Códigos de falha que podem estar relacionados a temperatura e a pressão de óleo

Dessa forma, quando a UCE identifica problemas na pressão ou temperatura do óleo, ou ainda problemas nos circuitos elétricos dos sensores e atuadores relacionados ao sistema de lubrificação, códigos de falha podem ser gravados em sua memória. A seguir, separamos os códigos de falha OBD genéricos que podem estar relacionados com a temperatura e pressão de óleo do motor:

  • P0195 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” de Temperatura do Óleo do Motor.
  • P0196 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” de Temperatura do Óleo do Motor.
  • P0197 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” de Temperatura do Óleo do Motor.
  • P0198 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” de Temperatura do Óleo do Motor.
  • P0199 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” de Temperatura do Óleo do Motor.
  • P0298 Temperatura do Óleo do Motor Muito Alta.
  • P0520 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” / Interruptor “A” de Pressão do Óleo do Motor.
  • P0521 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” / Interruptor “A” de Pressão do Óleo do Motor.
  • P0522 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” / Interruptor “A” de Pressão do Óleo do Motor.
  • P0523 Falha no Circuito Elétrico do Sensor “A” / Interruptor “A” de Pressão do Óleo do Motor.
  • P0524 Pressão do Óleo do Motor Muito Baixa.
  • P055F Pressão do Óleo do Motor Fora do Intervalo Esperado.

VOCÊ SABIA?

Uma curiosidade sobre a famosa “luz do óleo do motor”.

luz do óleo do motor
Exemplo de luz do óleo do motor.

Você sabia que esse símbolo representa uma ferramenta chamada almotolia, muito utilizada em mecânicas para a aplicação de óleo?

almotolia luz pressão de óleo do motor
Exemplo de almotolia.

Por estar relacionada à lubrificação de peças e componentes, a almotolia foi utilizada para representar o aviso nos painéis de instrumentos dos veículos que é mundialmente conhecido como a luz de óleo do motor. Cada montadora adota um layout próprio para a representação desta luz no painel, mas todos têm o mesmo significado.

Assim, sempre que esse aviso aparecer no painel de instrumentos do veículo é motivo de muita atenção, pois, como citamos durante o texto, falhas na temperatura e pressão de óleo do motor podem causar danos irreparáveis ao motor.

Complementarmente, veículos equipados com sensor de temperatura do óleo, que fazem o monitoramento direto da temperatura do óleo do motor, podem trazer outro tipo de aviso no painel de instrumentos, também simbolizado pela almotolia, como o exemplo a seguir.

luz temperatura do óleo motor
Exemplo de luz de avaria na temperatura do óleo do motor.