Conheça as principais diferenças entre modelos e descubra a melhor opção para sua oficina.


 

Forte tendência nas oficinas mecânicas de todo o país, o osciloscópio automotivo chegou, e chegou para ficar. Um equipamento que é sonho de consumo entre reparadores, principalmente pela versatilidade e produtividade, e para quem já o possui, é um fiel aliado no diagnóstico, tanto em veículos ciclo otto quanto em ciclo diesel.

Observando o crescente interesse sobre o assunto, uma dúvida surge entre todos os reparadores: Quantos canais meu osciloscópio deve ter?

Esta também é uma dúvida muito recorrente nos atendimentos do suporte técnico para assinantes da Enciclopédia Doutor-IE.

Se você está pesquisando informações sobre qual modelo de osciloscópio comprar, quantos canais são necessários para sua oficina ou quais são as maneiras de tirar o melhor aproveitamento de seu equipamento, nós temos as respostas!

Separamos neste post valiosas dicas sobre o assunto para que você inicie ou desenvolva ainda mais seus trabalhos em diagnóstico avançado com osciloscópio automotivo.

Nesse post você irá aprender:

Qual a diferença entre osciloscópios de 1, 2, 4 ou 8 canais?

Muito se questiona qual é o número ideal de canais necessários para um bom aproveitamento do osciloscópio. Entretanto, a resposta para essa pergunta está muito mais ligada ao reparador que ao próprio equipamento.

Isso porque o número de canais do osciloscópio e sua utilização depende diretamente da experiência e conhecimento que o reparador possui sobre o assunto. Um bom exemplo disso vem da própria Doutor-IE.

Segundo Valter Ravagnani, fundador e CEO da Doutor-IE, especialista e pioneiro na utilização do osciloscópio, relata que no início dos trabalhos de pesquisa para a produção de Oscilogramas para a Enciclopédia Automotiva, osciloscópios de apenas um canal eram suficientes.

Conforme o conhecimento e a demanda sobre a utilização do equipamento cresceram, aumentaram também o número de canais nos aparelhos utilizados pela empresa durante as pesquisas em campo.

Valter Ravagnani CEO e fundador da Doutor IE
Valter Ravagnani CEO e fundador da Doutor IE apresentando as diferenças entre osciloscópios

A vantagem entre osciloscópios com mais canais, como 4 e 8, está na possibilidade de análises simultâneas de diferentes sinais durante o diagnóstico, o que naturalmente aumenta muito a produtividade para o reparador.

Vamos demonstrar uma captação simultânea com osciloscópio de 8 canais. Para isso foi utilizado uma placa simuladora e os acessórios específicos para captação de cada sinal.

Placa simuladora de um sistema de injeção eletrônica automotiva. Doutor IE
Placa simuladora de um sistema de injeção eletrônica automotiva. Doutor IE

Veja na imagem abaixo todos os sinais sendo captados simultaneamente.

Exemplos de sinais coletados em um osciloscópio. Doutor -IE
Exemplos de sinais coletados em um osciloscópio. Doutor -IE
  • Canal A – Sensor de Rotação
  • Canal B – Sensor de Fase
  • Canal C – Bobina de Ignição
  • Canal D – Corrente do Primário de Ignição
  • Canal E – Sonda Lambda
  • Canal F – Sensor de Temperatura

 

Qual osciloscópio a Doutor-IE utiliza?

Para o desenvolvimento da enciclopédia Doutor-IE, (que hoje já conta com mais de 10 mil Oscilogramas), utilizamos em nossas coletas vários modelos de osciloscópios que possuem desde 1 até 8 canais.

A maior vantagem nos equipamentos de mais canais está na possibilidade de um maior aproveitamento de tempo durante a captação de sinais pela equipe.

Equipe Doutor IE coleta de Oscilogramas
Momento da equipe Doutor IE realizando estudos e coleta de oscilogramas.

Se você já possui osciloscópio e quer saber mais sobre os acessórios disponíveis e sua aplicação no diagnóstico veicular, separamos um material imperdível sobre o assunto.

Osciloscópio Automotivo: Vale a pena investir?

Sou iniciante, quantos canais meu osciloscópio deve ter ?

Como explicado anteriormente, o número de canais está diretamente ligado ao seu conhecimento e domínio sobre o equipamento.

Para iniciantes indicamos aparelhos mais simples, seja pela praticidade na configuração e também pelo menor custo de investimento. Neste caso, aparelhos de 1 a 2 canais são boas opções.

Além da complexidade no manuseio, o uso de um número maior de canais se torna algumas vezes irrelevante devido ao desconhecimento das análises possíveis com uma opção mais avançada de osciloscópio.

Focando em equipamentos de 1 a 2 canais seu aprendizado será mais gradual e focado na análise de sensores de forma individualizada.

Conforme sua experiência avançar você poderá adquirir um osciloscópio de múltiplos canais e realizar análises de diferentes sensores e atuadores ao mesmo tempo.

 

Quer iniciar seus estudos sobre osciloscópio sem sair de casa?
Temos um curso 100% online sobre o tema:

Doutor-IE EAD| Eletrônica avançada: Osciloscópio Automotivo

 

Qual análise posso fazer com osciloscópio de apenas um canal?

Para se ter uma ideia, com apenas um canal em seu osciloscópio é possível fazer a análise individual de diferentes parâmetros:

  • Sinal do Sensor de Fase;
  • Sinal do Sensor de Rotação (Indutivo e Hall);
  • Sinal do Sensor de Temperatura da Água;
  • Sinal da Sonda Lambda;
  • Acionamento da Bobina de Ignição;
  • Corrente do Primário de Ignição;
  • Pressão de Cilindro
  • Entre outros.

Em nosso canal no Youtube disponibilizamos uma playlist com dezenas de vídeos gratuitos sobre a correta utilização do Osciloscópio Automotivo.

Playlist Doutor IE| Osciloscópio Automotivo – Como Usar

 

Por que ter um osciloscópio de 4 canais ou mais?

Osciloscópios de 4 canais ou mais são destinados para usuários mais avançados, ou seja, para quem já é “piloto” de osciloscópio.

Uma das maiores vantagens além da captação simultânea de diferentes sinais está na possibilidade de comparação destes sinais durante o seu funcionamento em conjunto.

Em algumas situações, como no exemplo abaixo, para o correto sincronismo do motor é indicado a captação de 3 sinais diferentes ao mesmo tempo.

 

Exemplo de análise em osciloscópio de 4 canais:

Análise de Fase x Rotação

Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv
Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv

Vamos tomar como exemplo o Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv – 2019, um veículo que para o sincronismo de motor apresenta:

  • 1 sensor de fase de admissão
  • 1 sensor de fase de escape 
  • 1 sensor de rotação

Para esta situação, o ideal é a análise com um osciloscópio de 3 canais. Abrindo o manual de Oscilogramas do carro, presente na Enciclopédia Doutor-IE, escolhemos o gráfico: “Sensor de Fase x Rotação”.

Veja na imagem abaixo:

Exemplo Oscilogramas do Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv - 2019
Exemplo Oscilogramas do Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv – 2019

Nesse caso o gráfico é composto da seguinte forma:

  • Canal A: Sensor de Rotação do Motor: Medido entre o terminal 86 do conector B da UCE do Motor (terminal 2 do CKP) e a massa – Sinal com o motor em marcha lenta.
  • Canal B: Sensor de Fase 1 (Escape): Sinal medido entre o terminal 85 do conector B da UCE do Motor (terminal 3 do CMP 1) e a massa – Sinal com o motor em marcha lenta.
  • Canal C: Sensor de Fase 2 (Admissão): Sinal medido entre o terminal 62 do conector B da UCE do Motor (terminal 3 do CMP 2) e a massa – Sinal com o motor em marcha lenta.

Conforme você pode visualizar, foram utilizados 3 canais para chegar neste gráfico. Evidentemente este é um trabalho que necessita um maior domínio e conhecimento sobre o osciloscópio.

 

Invista em uma fonte de Oscilogramas confiável

Como você já sabe, para a correta utilização de um osciloscópio, você precisa de uma biblioteca de referência, ou melhor, uma Enciclopédia de manuais com imagens de diversos sensores e atuadores durante o perfeito funcionamento. Dessa forma você poderá comparar o gráfico do seu veículo com o gráfico ideal.

Na Enciclopédia Automotiva Doutor-IE temos mais de 10 mil manuais de Oscilogramas.

Por exemplo, para o Jeep Compass 2.0 16v Tigershark Flex 159/166 cv citado anteriormente, temos os seguintes gráficos:

Sincronismo de Motor

  • Sensor de rotação x fase
  • Pressão do cilindro (sincronismo do virabrequim com a roda fônica)
  • Pressão do cilindro (sincronismo do virabrequim com eixos comandos)

Pressão e Vácuo

  • Pressão do cilindro (posição da centelha com motor em marcha lenta)
  • Pressão do cilindro (motor durante a partida)
  • Pressão do cilindro (motor em marcha lenta)
  • Pressão do cilindro (motor em brusca aceleração)
  • Pulsos de pressão no cárter
  • Pulsos de pressão no escapamento

Bobina de Ignição

  • Tensão primário x tensão secundário
  • Tensão primário x corrente primário

Sinais dos atuadores

  • Sonda Lambda (controle do aquecedor)
  • Injetor de combustível (corrente x tensão)
  • Motor do corpo de borboleta
  • Eletroválvula do variador de fase (admissão x escape)
  • Sensor de posição da borboleta – Tps
  • Sensor de Pressão do Ar – Map
  • Sensor de Posição do Pedal do Acelerador -spa
  • Sonda Lambda (pré-catalisador x pós-catalisador)

Rede de Comunicação

  • Rede Can High x Rede Can Low

Como bônus, vamos disponibilizar parte deste manual com você!

 

Bônus – manual em PDF para download grátis

Baixe gratuitamente o PDF completo com o manual de oscilogramas do sincronismo do motor do veículo Jeep Compass 2.0 16V Tigershark FLEX.

Oscilogramas do sincronismo do motor
>> Baixe o manual completo em PDF <<

 


Quer ter acesso a mais conteúdos sobre oscilogramas?
Conheça a Enciclopédia Automotiva Doutor-IE Online!