Você está se preparando para receber veículos híbridos e elétricos?


 

Em 2010 era lançado o primeiro carro híbrido no Brasil, o Ford Fusion Hybrid, marcado por vendas tímidas e muita desconfiança. Em 2012 a Toyota anunciou o Prius, com estilo conceitual e aparência duvidosa. Apesar de ser sucesso de vendas em muitos países, como EUA, aqui no Brasil nunca decolou.

Mas o jogo está mudando. Em 2018 tivemos um ano recorde na comercialização de carros híbridos e elétricos no mundo. Em termos globais, cerca de 1,98 milhões de unidades foram vendidas. Aqui no Brasil, o interesse do brasileiro por veículos com propulsão híbrida ou elétrica está aumentando rápido, juntamente com a oferta de novos modelos.

Para quem duvida, o mais novo lançamento da Toyota, o Corolla híbrido flex, por exemplo, já esteve com fila de espera de 4 meses para aquisição nas concessionárias brasileiras.

Nesse post você vai ver:

 

Rota 2030 – Programa Federal que abriu caminho para Híbridos e Elétricos no Brasil

Em 11 de dezembro de 2018 foi sancionada a lei que definiu o Programa Rota 2030 - Mobilidade e Logística, que buscou alinhar o produto nacional ao padrão de grandes polos internacionais e que estabelece requisitos sobre a comercialização de veículos no Brasil para os próximos 15 anos. Além disso, o programa dispõe sobre o regime tributário de todo o setor automotivo, o que também reflete no comércio de carros híbridos e elétricos.

Entre os principais pontos do programa estão as metas para eficiência energética e a redução de IPI para híbridos flex fabricados no Brasil.

Hoje, um ano após a publicação do programa e uma consecutiva e pequena redução de IPI para carros híbridos e elétricos, novidades no setor já são percebidas nas concessionárias.

 

Principais veículos híbridos e elétricos no Brasil

Toyota

Após o lançamento do Toyota Corolla Híbrido Flex, no mês de setembro de 2019 os pedidos para as versões híbridas representavam 35%. Fila de espera de 30 a 120 dias. Inclusive o modelo esteve com a venda suspensa em algumas concessionárias, como mostra a reportagem da revista Quatro Rodas.

Toyota Corolla flex híbrido
Toyota Corolla flex híbrido

O planejamento inicial da Toyota era de ocupar 5% do volume de produção com as versões híbridas. Com a alta procura, a montadora informou que o volume de produção do sedã híbrido será ampliado para mais de 20%.

Além do Corolla, a Toyota lançou a linha 2020 do SUV RAV4, agora sendo comercializado somente na versão híbrida. E com a novidade, as vendas do modelo deram um salto.

Toyota RAV4 híbrido
Toyota RAV4 híbrido

"Não contávamos com uma procura tão rápida pelo carro que antes pouca gente queria saber", revelou um gerente de concessionária da Toyota na zona norte de São Paulo para o site da UOL.

A Toyota mantém a venda do já conhecido Prius, em sua 4ª geração. A família Prius teve mais de 5,7 milhões de unidades negociadas em todo o mundo, desde seu lançamento em 1997.

Toyota Prius híbrido
Toyota Prius híbrido

Ford

O Fusion Hybrid foi o primeiro veículo híbrido completo a ser comercializado no país, no ano de 2010. Curiosamente, ele foi usado oficialmente como carro presidencial do Brasil.

Ford Fusion híbrido
Ford Fusion híbrido

Volkswagen

A Volkswagen lançou o Golf GTE, primeiro híbrido da marca no país, em um lote de apenas 100 unidades. Este veículo se diferencia por ser plug-in, onde também é possível carregar a bateria conectando em uma tomada.

Volkswagen Golf GTE híbrido plug-in
Volkswagen Golf GTE híbrido plug-in

BMW

A montadora alemã disponibiliza alguns veículos para o mercado brasileiro. Entre eles estão o totalmente elétrico I3, o superesportivo híbrido I8 além do 530e hybrid e série 7 hybrid.

BMW i8 híbrido
BMW i8 híbrido

Porsche

A Porsche também está investindo em híbridos, com os modelos do suv Cayenne E-Hybrid e o cupê Panamera 4 E-Hybrid, sem deixar de lado a esportividade característica da marca. A montadora já confirmou também a chegada do Taycan, este totalmente elétrico.

Porsche Taycan elétrico
Porsche Taycan elétrico

Volvo

A marca sueca oferece o suv XC90 Plug-in Hybrid. Além disso, a Volvo já anunciou a versão híbrida para o suv XC40, um dos modelos mais recentes da marca.

Volvo XC90 T8 híbrido
Volvo XC90 T8 híbrido

Lexus

A Lexus tem em sua linha quase 100% de carros híbridos, como os modelos CT (hatch), UX (crossover), NX (suv), ES (sedã) e LS (sedã).

Lexus UX híbrido
Lexus UX híbrido

Outras montadoras

Várias outras montadoras já anunciaram os próximos lançamentos híbridos ou elétricos.

A Honda anuncia três híbridos para Brasil. “Assumimos o compromisso de vender três modelos de configuração híbrida na região até 2023", afirmou o presidente da Honda South America, Issao Mizoguchi.

A Kia anunciou dois lançamentos híbridos, o sedã Optima e o subcompacto Soul.

Até a tradicional fabricante de motos Harley-Davidson está apostando em elétricos, a LiveWire será a primeira moto elétrica da história da marca e deve chegar ao Brasil em 2020.

Totalmente elétricos

Agora, se você é um daqueles que está interessado em deixar a gasolina totalmente de lado e partir para a eletricidade, temos também carros exclusivamente elétricos, que estão o entre os primeiros modelos da categoria disponibilizados no Brasil, como o:

  • Renault Zoe
  • Nissan Leaf
  • Chevrolet Bolt
  • JAC iEV
Chevrolet Bolt elétrico
Chevrolet Bolt elétrico

Mudança no comportamento do consumidor

O consumidor está mudando. Ele está buscando diferenciais em tecnologia (entretenimento, conforto, segurança), além de eficiência energética e performance.

Apesar do preço ainda elevado dos carros híbridos no Brasil, a economia se faz presente na hora de abastecer. A maioria dos veículos híbridos ou elétricos recebem índice A no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro.

Além disso, carros híbridos ou elétricos são mais sustentáveis. Por utilizar energia elétrica, as emissões de gases poluentes do motor são mais baixas ou nulas.

 

Mas afinal, qual o tamanho da Frota de Híbridos e Elétricos no Brasil?

Atualmente a frota brasileira conta com cerca de 20 mil unidades entre carros híbridos e elétricos, boa parte no sudeste do país. Parece pouco, mas alguns números são bem animadores para o futuro da categoria. Segundo o Boston Consulting Group (BCG), até 2030, carros híbridos e elétricos vão representar 5% da frota brasileira com vendas de 180 mil unidades ao ano, conforme divulgado pelo site da revista Época.

Na última década, foram vendidos cerca de 20 mil veículos elétricos e híbridos. A previsão é esse número dobre no ano que vem.

Além de veículos leves, o cenário de híbridos promete invadir a categoria dos caminhões e ônibus.

A Volkswagen pretende para 2022 o lançamento do E-delivery, primeiro caminhão urbano totalmente elétrico do Brasil. A Ambev já reservou 1.600 unidades do modelo.

Volkswagen Delivery elétrico
Volkswagen Delivery elétrico

A BYD, maior fabricante de automóveis elétricos, híbridos e ônibus elétricos plug-in do mundo, abriu sua primeira fábrica no Brasil em 2015. Depois de cinco anos, a montadora está comemorando a maior venda mensal da América Latina: 150 veículos elétricos. Para o próximo ano, a expectativa é que as vendas aumentem até dez vezes.

“Nossa expectativa é sair de 300 pra cerca de 500 funcionários no meio de 2020”, conta Adalberto Maluf, diretor de sustentabilidade, em entrevista para o Jornal Nacional.

BYD chassi D9W elétrico para ônibus
BYD chassi D9W elétrico para ônibus

 

Autonomia

Um dos principais contrapontos na aquisição de veículos elétricos é com relação a autonomia energética, ou seja, quantos quilômetros é possível rodar com uma carga de bateria.

Empresas do setor energético, como a EDP Brasil, tem papel decisivo no suporte para a frota de carros elétricos no país.

A empresa distribuidora de energia promete a instalação de 30 eletropostos até 2020 cobrindo todo o território estadual de São Paulo, de forma que a distância entre os pontos de recarga sejam inferiores ao limite máximo de autonomia energética atingida pelos carros elétricos.

Outro exemplo pode ser visto em Santa Catarina e Paraná.

Santa Catarina, Paraná e São Paulo já possuem corredores de abastecimento para maior autonomia dos carros elétricos.

A Celesc (empresa distribuidora de energia no estado catarinense) e a Copel (distribuidora de energia elétrica no Paraná), firmaram em 2018 uma parceria para a implementação de eletropostos entre as duas capitais: Florianópolis e Curitiba, cobrindo os mais de 300 km entre as duas cidades.

Em Florianópolis há também diferentes pontos de carregamento. Um exemplo é o eletroposto na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), projeto da Fundação CERTI, Celesc Distribuição S.A e ANEEL.

Eletroposto UFSC
Eletroposto UFSC

 

As oficinas Brasileiras estão preparadas para atender híbridos e elétricos?

Carros com sistema de tração híbrida ou elétrica também necessitam de revisão periódica, como freios, balanceamento, suspensão, ar-condicionado, etc.

Entretanto esses veículos precisam de mão-de-obra especializada para trabalhar com sistemas de alta tensão.

“O desafio é capacitar essa indústria para fazer a manutenção e o pós-venda destes novos serviços”, afirma Thiago Sugahara, vice-presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos, em entrevista para o Jornal Nacional.

A importância do conhecimento sobre eletrônica embarcada é essencial, entretanto, para a reparação de veículos com sistema de alta tensão é indispensável o conhecimento das normas de segurança.

Mesmo não atuando diretamente no sistema de propulsão desses veículos é necessário que o reparador saiba identificar de maneira correta itens como cabos e componentes de alta tensão.

Válter Ravagnani, CEO da Doutor-IE, alerta que, mesmo havendo um motor elétrico embaixo do capô, continuam existindo sistemas como o de arrefecimento, assim como o compressor do ar-condicionado, que nos híbridos esse sistema é elétrico e de alta tensão. Sem o devido conhecimento por parte do reparador, uma simples troca de mangueira ou revisão do sistema de ar-condicionado podem ocasionar sérios acidentes para o profissional.

Valter Ravagnani - palestra sobre Híbridos e Elétricos- Circuito Doutor-IE 2019
Valter Ravagnani - palestra sobre Híbridos e Elétricos- Circuito Doutor-IE 2019

A norma regulatória 10 (NR10) possui como objetivo regulamentar serviços que envolvam eletricidade, a fim de priorizar a segurança do profissional. A oficina mecânica se torna responsável pela aplicação da norma sob pena de multa em caso de descumprimento, além de estar sujeita a risco de acidentes tanto para seus colaboradores quanto para seu clientes.

Atualmente grande parte dos serviços pós-venda de carros híbridos e elétricos são realizados nas concessionárias devido, principalmente, a escassez de mão de obra qualificada e falta de oficinas que estejam preparadas para esse atendimento. Este será um nicho de negócio que poderá ser muito lucrativo para quem se especializar e sair na frente da concorrência, como apresentado por Peter Nielsen, palestrante no Circuito Doutor-IE 2019 em sua palestra “Reparo de baterias de alta tensão”.

Peter Neilson - palestra sobre conserto de baterias de alta tensão - Circuito Doutor-IE 2019
Peter Neilson - palestra sobre conserto de baterias de alta tensão - Circuito Doutor-IE 2019

Conheça o Circuito Doutor-IE!