Código De Falha OBD2 – Aplicação e Estrutura

Entenda o código de falha e sua estrutura.


Geralmente quando um veículo chega na oficina com uma lâmpada de manutenção acesa ou com uma falha, o reparador conecta um scanner no veículo e verifica o código apresentado na tela. Esse código é chamado de código de falha ou DTC (Sigla em inglês para “Diagnostic Trouble Codes”).

Nesse post você vai encontrar:

    1. O que é um código de falha?
    2. O que é o autodiagnóstico?
    3. A estrutura de um código de falha
    4. Perguntas e Respostas

O que é um código de falha?

O código de falha ou código de defeito é uma facilidade eletrônica que informa, através de um autodiagnóstico, qual parte ou função do veículo está com defeito, sem necessidade de desmontar peças do veículo.

Dica Doutor-IE: O código de falha na peça “X” não necessariamente significa a troca desta peça, pois o problema pode ser em peças auxiliares, que interagem com a peça “X”, ou no diagrama elétrico. Para saber mais, é só consultar os diagramas na Plataforma Doutor-IE.

O que é o autodiagnóstico?

Conhecido como OBD (sigla em inglês para “On Board Diagnostics”), o autodiagnóstico funciona como um “médico”, que indica o “problema de saúde” (código de falha) do seu veículo.

A OBD surgiu para controlar emissão de gases poluentes nos veículos, mas se tornou muito popular não pelo controle de emissões, mas pela facilidade que trouxe na reparação.

Em 1996 se tornou popular nos veículos leves, e em 2004, nos veículos pesados. Em 2010, se tornou obrigatório no Brasil, e até hoje reduz o tempo necessário para a reparação e facilita o diagnóstico nas oficinas.

A estrutura de um código de falha

A estrutura do código de falha é formada por cinco dígitos. O primeiro dígito é sempre uma letra, seguido de quatro números, conforme a norma atual (SAE J2012).

Estrutura padrão de um código de falha
Estrutura padrão de um código de falha

 

DÍGITO 1 – Designação do sistema

O primeiro dígito refere ao sistema do veículo. Pode variar entre:

  • “B” do inglês, Body: Representa os sistemas encontrados no compartimento do passageiro, tais como ar-condicionado, airbag, áudio, travamento de portas.
  • “C” do inglês, Chassis: Representa os sistemas encontrados na estrutura de base do veículo, tais como sistemas de freio, direção, suspensão e tração.
  • “P” do inglês, Powertrain: Representa os sistemas motrizes do veículo, tais como o motor, os sistemas de transmissão.
  • “U” referente a Network: Representa os sistemas do computador de bordo e suas funções, tais como a comunicação entre sistemas eletrônicos e imperfeições na parte elétrica.

DÍGITO 2 – Especificidade da montadora

O segundo dígito informa se o Código de Falha é genérico ou específico da montadora.

Caso o segundo dígito do código seja 1, ele é específico da montadora, caso contrário, é genérico, conforme a tabela.

Códigos Genéricos
PowertrainBodyChassiNetwork
P0000 ao P0FFFB0000 ao B0FFFC0000 ao C0FFFU0000 ao U0FFF
P2000 ao P2FFFB3000 ao B3FFFC3000 ao C3FFFU3000 ao U3FFF
P3400 ao P3FFF

 

Seguindo o exemplo, o código de falha P0300 na Fiat é Falha na Combustão de Cilindros Múltiplos, assim como o P0300 na Volkswagen.

Nota-se que o segundo dígito é 0, então a norma estabeleceu o que aquele código significa.

Por outro lado, o P1570 na Fiat é “Falha no Sensor do Pedal do Acelerador” e na Volkswagen o mesmo código é “Partida do Motor Bloqueada por Imobilizador”.

Essa diferença ocorre pois o segundo dígito é 1, então cada montadora decide o que aquele código significa.

Dica Doutor-IE: Os códigos que iniciam com “P0”, “P2” ou a partir de “P3400” são padronizados pela norma, para qualquer veículo. Portanto, se você lembra de algum código com esse padrão já sabe o resultado para qualquer modelo. Caso contrário, é só consultar na Plataforma Doutor-IE.

DÍGITO 3 – Definição do subsistema

O terceiro dígito informa qual o subsistema afetado pela falha.

A norma não define subsistemas das letras B, C e U. Por outro lado a letra P, relacionada ao motor e a transmissão, é especificada pela norma através da seguinte forma:

  • 0 – Combustível, medição de ar e sistemas de emissão auxiliares.
  • 1 – Combustível e medição de ar.
  • 2 – Combustível, medição de ar e circuito injetor.
  • 3 – Sistemas de ignição ou falha de combustão.
  • 4 – Sistemas de emissão auxiliares.
  • 5 – Sistema de controle de velocidade e marcha lenta.
  • 6 – Computador e saídas auxiliares.
  • 7 à 9 – Transmissão.
  • A, B, C e D – Propulsão híbrida.

DÍGITOS 4 e 5 – Natureza da falha

Os últimos dois dígitos representam a natureza da falha e direcionam o reparador ao diagnóstico com maior precisão, para diagnosticar no alvo do defeito.

Precisão em cada dígito do código de falha
Precisão em cada dígito do código de falha

Podem variar de 00 a FF, pois é baseado no sistema de numeração hexadecimal. A numeração hexadecimal representa os números na base 16, diferente da contagem decimal, que representa os números na base 10.

Do mesmo modo que no sistema decimal, o algarismo mais à esquerda sobe uma unidade quando alcança o último algarismo da base e a contagem continua, como a tabela a seguir.

Decimal para Hexadecimal
DecimalHexadecimalDecimalHexadecimal
111711
221812
331913
442014
552115
662216
772317
882418
992519
10A261A
11B271B
12C281C
13D291D
14E301E
15F311F
16103220

 

A eletrônica adotou o formato hexadecimal pois, com 2 dígitos, é possível estabelecer 256 combinações numéricas (00 ao FF). Entretanto, no formato decimal, com 2 dígitos só é possível estabelecer 100 combinações (00 ao 99).


Perguntas e Respostas

  1. Existem códigos desconhecidos que nem o fabricante sabe o que significa?
    Não. Todo código tem uma descrição, entretanto essas informações nem sempre estão disponíveis no equipamento convencional.
  2. Conectei o scanner no veículo e aparece uma mensagem genérica, como “código desconhecido”, por que isso acontece?
    Isso ocorre pois a montadora não disponibilizou a documentação técnica ao fabricante do scanner. Ou seja, o código foi encontrado no banco de dados, mas sem descrição.
  3. Como descubro o que significa o código de falha desconhecido que aparece na tela do meu scanner?
    Pesquise na Plataforma Doutor-IE onde temos milhares de códigos traduzidos, inclusive os que o scanner convencional não conhece.

Agora que você conhece a estrutura de um código de falha ficou simples entender como surgem todas as letras e números que aparecem no seu scanner.

Com a Plataforma Doutor-IE fica muito mais fácil reparar veículos, pois ela contém o maior banco de dados de Códigos de Falha do Mundo em português.

Clique aqui e junte-se a maior e melhor comunidade de reparadores do Brasil.

Faça um Test-Drive.